Érebus, o Invocador de Cadáveres

Erebus, o Invocador de Cadáveres

Erebus, conhecido nos contos sussurrados como o Invocador de Cadáveres, é uma figura sinistra cuja própria presença parece sugar o calor e a vida do ar. Sua cabeça careca, coberta de tatuagens intrincadas e enigmáticas, é uma prova de suas artes negras e dos pactos proibidos que ele selou com sangue. Aqueles olhos fundos, janelas para uma alma mergulhada na escuridão, muitas vezes se fixam em visões distantes e invisíveis, e seu esporádico sorriso desdentado – faltando vários dentes da frente – pinta um retrato sombrio de seu passado e das batalhas que ele enfrentou.

Com as mãos carbonizadas como se tivessem sido mergulhadas no fogo do submundo, Erebus exerce sua magia negra com uma sutileza aterrorizante. Se essas mãos são o resultado de algum ritual que deu errado ou de um sacrifício deliberado por maior poder, ninguém pode dizer. Cada movimento, seja lançar magias ou simplesmente gesticular, parece deliberado, pontuando a atmosfera com um arrepio agourento. Sua idade é difícil de discernir; embora seu semblante esteja enrugado e desgastado, fazendo-o parecer velho e mal-humorado, há nele uma vitalidade, uma energia sombria que sugere uma vida anormalmente prolongada.

Apesar de sua aparência intimidadora, é a reputação de Erebus que realmente assusta. O Invocador de Cadáveres não é apenas um apelido; é um título conquistado. Ao longo dos anos, ele ressuscitou incontáveis ​​cadáveres de seu sono eterno, dobrando-os à sua vontade e transformando-os em instrumentos de suas intenções malévolas. Aqueles que cruzam seu caminho ou tentam desvendar os mistérios de seu passado muitas vezes se deparam com um exército de mortos-vivos, com Erebus, o mestre marionetista, orquestrando cada movimento seu.

art by @victhelion
Elysium's Door